Home » Pesquisadores da USP investigam como a privação de sono afeta a saúde das crianças

Pesquisadores da USP investigam como a privação de sono afeta a saúde das crianças

by Nilceia Fraissat
0 comment
privação de sono

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP mostrou que crianças entre cinco e sete anos de idade com privação de sono têm mais chances de desenvolver problemas cognitivos, comportamentais, doenças do coração e obesidade. 

A pesquisa foi realizada com 199 crianças, alunos de escolas públicas e particulares de São Paulo e Fortaleza, no Ceará. Para fins de controle, o estudo utilizou como referência o tempo de sono recomendado por faixa etária da National Sleep Foundation, organização norte-americana. 

Segundo os pesquisadores os resultados mostraram que além de problemas cognitivos, comportamentais, doenças do coração e obesidade, a privação do sono e o excesso de gordura corporal podem ser um gatilho para o desenvolvimento de doenças inflamatórias.

O foco do estudo foi investigar a relação entre privação de sono e perfil inflamatório, mediada pela circunferência da cintura em crianças. Além da avaliação do tempo de sono, os pesquisadores avaliaram ainda amostras de sangue e a média da circunferência abdominal. Nesta análise constatou-se que as crianças tinham, em média, 5,72 horas (h) de tempo de sono e 59,61 centímetros (cm) de cintura.

Estudos anteriores já haviam constatado que a privação do sono e a hora irregular de dormir das crianças provocam problemas comportamentais como agressão e dificuldades para controlar a emoção. Além disso, observou também uma redução no desempenho acadêmico.

Entenda o que é e quando ocorre a privação de sono

privação de sono na infância

A privação de sono é um termo que se refere ao ato de não dormir suficientemente. O corpo necessita, em média, de 7 a 9 horas diárias de sono para que possa se recuperar das atividades realizadas no dia anterior. Porém, muitas pessoas, por razões diversas, não conseguem dormir todo esse tempo, provocando prejuízos à saúde. 

Quando o cenário apresentado acima acontece com um indivíduo, é possível dizer que ele está passando por uma privação de sono e precisa de mudanças de hábitos e rotinas para resolvê-la. 

Principais sintomas da privação de sono

A privação de sono gera vários sintomas, e muitos deles podem ser percebidos durante o dia-a-dia, mas, nem sempre são levados em consideração. Sabe aquela frequente sensação de cansaço extremo? Pois bem, ela pode estar relacionada à privação de sono, e não apenas ao trabalho excessivo, como geralmente pensamos.

Confira quais são os principais sintomas da privação de sono:

  • Sensação de memória fraca;
  • Irritabilidade;
  • Diminuição da capacidade de concentração; 
  • Sonolência excessiva ao longo do dia;
  • Dificuldade de acordar pela manhã;
  • Necessidade de tirar cochilos durante o dia;
  • Cansaço excessivo;
  • Perda de libido.

Tipos de privação de sono: aguda ou crônica

Existem dois tipos de privação de sono: a aguda e a crônica. Elas se relacionam diretamente à duração desse cenário prejudicial à saúde e à qualidade de vida. Entenda a diferença entre essas duas classificações.

Aguda

A privação de sono aguda é aquela que ocorre de modo pontual. Quem nunca teve que passar uma madrugada estudando ou trabalhando, não é mesmo? Se você tem filhos, certamente também já precisou passar noites em claro quando um deles estava doente. 

Há inúmeros exemplos de situações que exigem a redução das horas destinadas ao sono em dias específicos. Nesse caso, quando essa privação de sono dura até dois dias, diz-se que ela é aguda.

Crônica

Já a privação de sono crônica é aquela que acontece frequentemente. Indivíduos que são acostumados a dormir poucas horas, trabalham no período da noite ou possuem algum distúrbio relativo ao sono lidam com esse tipo de privação. 

Nessa situação, dormir em quantidade reduzida faz parte da rotina diária da pessoa. Assim, os sintomas da privação e a baixa qualidade de sono passam a ser constantes, afetando diversos aspectos da vida pessoal e profissional desse indivíduo.

Leia também: Processos Cognitivos Básicos e Superior: Importância e Como Funcionam

Causas e sintomas da privação do sono 

privação de sono consequências

Como já foi adiantado anteriormente, as causas e os sintomas da privação de sono são bem diversos. É importante reconhecê-los, para que, caso se identifique com algum deles, possa procurar auxílio médico e resolvê-los rapidamente. 

Causas

A privação de sono pode ser gerada por razões distintas, seja por maus hábitos, seja por questões externas. Inclusive, outras doenças podem provocar essa privação. Veja quais são as causas mais comuns: 

  • Estresse excessivo;
  • Exigências e imposições acadêmicas e profissionais;
  • Depressão;
  • Apneia do sono;
  • Consumo exagerado de cafeína;
  • Falta de higiene do sono.

Sintomas

Além dos sintomas já mencionados, há outros que devem ser observados. Eles indicam que algo não está saudável no seu organismo, e podem, até, indicar o que está causando a privação de sono. Confira mais sintomas: 

  • Dores musculares;
  • Dificuldade em iniciar a dormir;
  • Acordar cansado após uma noite de sono;
  • Movimentos frequentes e anormais enquanto dorme;
  • Dificuldade em se manter dormindo;
  • Acordar diversas vezes durante a noite.

Privação de sono: principais consequências

A privação de sono causa bastante consequências à saúde e à qualidade de vida do indivíduo, e é justamente por isso que ela é tão prejudicial. Veja quais são as principais consequências desse problema:

Sonolência excessiva

privação de sono e ansiedade

Quando uma pessoa sofre privação de sono, ela convive com a sonolência excessiva durante o dia. Assim, ela encontra dificuldades para se manter acordada enquanto realiza atividades e tarefas cotidianas, como trabalhar, estudar e realizar afazeres domésticos. 

Redução da produtividade

Juntamente com a consequência anterior, a privação de sono gera uma redução da produtividade. Se um indivíduo não consegue dormir bem durante a noite, ele fica exausto ao longo do dia e não consegue se concentrar e focar em nenhuma tarefa. Dessa forma, ele não termina suas obrigações e, consequentemente, tem uma baixa produtividade. 

Redução no libido

O ato de dormir pouco interfere na produção e na liberação de hormônios corporais. Entre eles, estão os responsáveis pelo desejo sexual. Então, como há a diminuição da sua produção, o indivíduo sofre a redução no libido. 

Outras

Além dessas consequências, é importante destacar que há muitas outras. Saiba algumas delas: 

  • Instabilidade emocional → provocando tristeza, irritabilidade e ansiedade, por exemplo
  • Queda da imunidade;
  • Alterações hormonais;
  • Hipertensão;
  • Envelhecimento precoce.

Dicas de como melhorar a privação do sono

Para melhorar a privação de sono, é essencial que haja mudanças nos hábitos cotidianos, principalmente nos noturnos. Não tem como solucionar o problema se não estiver disposto a alterar os cenários que o causam. 

Aqui estão dicas de como amenizar a restrição de sono:

  • Não consuma bebidas cafeinadas à noite;
  • Reduza a exposição a telas e luzes algumas horas antes do horário de dormir;
  • Faça exercícios físicos regularmente;
  • Coma alimentos leves pela noite;
  • Crie uma rotina com horários exatos para dormir e acordar;
  • Sempre que possível, priorize o sono ao invés da realização de trabalhos e estudos.

Saiba como recuperar sono acumulado

privação de sono pode matar

Os dias em privação de sono geram um enorme sono acumulado. Infelizmente, não há como recuperar, de forma completa, o sono que foi perdido durante o período de noites com poucas horas de sono. Mas, é possível reduzir a sonolência e amenizar os efeitos da restrição do sono. 

Para isso, é preciso evitar novas noites sem dormir, se alimentar bem e de modo balanceado, controlar a pressão arterial e os níveis de colesterol, praticar a higiene do sono e realizar atividades físicas regulares. Em alguns casos, o uso de medicamentos também se faz necessário, mas isso deve ser avaliado, determinado e acompanhado por um médico.

Saiba quais são as horas mínimas de sono

As horas mínimas de sono variam de acordo com a faixa etária. Crianças precisam dormir mais que adultos, por exemplo. Segundo a Associação Brasileira do Sono, as horas mínimas de sono são:

  • 0 a 3 meses: 11 horas;
  • 4 a 11 meses: 10 horas;
  • 1 a 2 anos: 9 horas;
  • 3 a 5 anos: 8 horas;
  • 6 a 17 anos: 7 horas;
  • 18 a 64 anos: 6 horas;
  • 65+ anos: 5 horas.

Você pode se interessar: Linguagens de Programação Para Crianças: Benefícios e Plataformas de Programação

Privação de sono e ansiedade: entenda a relação

A privação de sono e a ansiedade estão diretamente relacionadas. Como explicado ao longo do post, essa privação provoca falta de concentração, irritabilidade, diminuição de produtividade e muitas outras situações que afetam a saúde mental. 

Quando o indivíduo não consegue realizar suas tarefas e se manter acordado e ter disposição ao longo do dia, ele se sente frustrado. Essa frustração acaba gerando ansiedade, já que a não conclusão de atividades causa preocupação, tensão e desespero exacerbados. 

Assim, o estado de ansiedade, irritação e impaciência toma conta do indivíduo, que passa a desenvolver transtornos psicológicos e a ter menor qualidade de vida. Por isso, é fundamental solucionar a restrição de sono antes que se agrave e chegue a níveis críticos. 

You may also like

Leave a Comment

logomi

Somos o melhor e mais completo site de notícias em ciências, Inovação e Tecnologia do Brasil. Contamos com a parceria de Centros de Inovação, Universidades e Incubadoras que compartilham com a nossa equipe as últimas novidades do universo tecnológico. Mundo Inovação, informação com credibilidade!

ARTIGOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS POSTAGENS

2013 – Todos os direitos reservados à Nilcéia Fraissat – Projetado e Desenvolvido por Jean Fraissat